Maria da Paixão
Instituto FMM
As 7 Mártires e Assunta

Província
Instituto
Igreja
Mundo
Amigos FMM
Voluntariado
Pastoral Juvenil/ Vocacional
Abre e vê
Quem somos
O que fazemos
Onde estamos
Amoreira da Gândara Fratel Porto - Maria Missionária
Arcozelo Funchal - Santa Clara Porto - S. Francisco
Beja Funchal - São Jorge Porches
Braga Lisboa - Casa Provincial Setúbal
Bragança  Lisboa - Chelas V. N. de Santo André
Charneca Caparica Lisboa - Cristo da Boa Morte Vila de Rei
Coimbra   Lisboa - Olivais  

 

 


senhora da palavra-fmm-funchal

A Palavra de Deus no Tempo




 «A Igreja venerou sempre as divinas Escrituras

como venera o próprio Corpo do Senhor,

não deixando jamais, sobretudo na sagrada Liturgia,
de tomar e distribuir aos fiéis o pão da vida,

quer da mesa da palavra de Deus
quer da do Corpo de Cristo.
»
(DV 21)
































mateus


titanic.

O sonho de um navio inafundável ruiria apenas cinco dias após ele levantar âncora para sua viagem inaugural.
Na madrugada de 15 de abril do ano de 1912,
o Titanic afundava no Atlântico Norte.





Rezemos pela PAZ na Síriajesus no meio

«Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome,
Eu estou no meio deles.»


CREMOS EM VÓS Ó DEUS
Cântico presente no filme Titanic, quando este se afunda.

Reunidos em nome do Senhor, unidos na mesma Fé,
rezemos ou cantemos pela PAZ na Síria.

1. Cremos em Vós, ó Deus! / Cremos em Vós,
Ó Pai, que estais nos céus, / Olhai por nós.
Chegue até Vós, ó Deus, / a nossa humilde voz.
Cremos em Vós, ó Deus. / Cremos em Vós.

2. Sois nosso Deus, Senhor, / Sois nosso Deus
A nossa força e luz, / Todo o nosso bem.
Sede p’la vida além, / O nosso defensor,
Nosso supremo bem / Ó Deus de amor.

3. Seja p’ra Vós, Senhor, / Seja p’ra Vós
Do nosso coração / Todo o amor
Cada palpitação / De nosso coração
Seja p’ra Vós, Senhor, / Seja p’ra Vós.

L. Mason






estou a porta e bato.

Leitura do livro do Apocalipse

palavra-do-apocalipse



anunciacao-25.03















anjo-anuncia2










anunciacao do anjo a maria                                        
09 DE ABRIL DE 2018

A SOLENIDADE DA ANUNCIAÇÃO DO SENHOR
é celebrada, liturgicamente, no dia 25 de março.

Este ano, porém, passou para o dia de hoje, por coincidir
com o Domingo de Ramos na Paixão do Senhor - dia 25.03.2018


anjo-anuncia

EVANGELHO SEGUNDO SÃO LUCAS 1, 26-38

O anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré,
a uma virgem desposada com um homem chamado José, da casa de David;
e o nome da virgem era Maria.
Ao entrar em casa dela, o anjo disse-lhe:

«Salve, ó cheia de graça, o Senhor está contigo.»

Ao ouvir estas palavras, ela perturbou-se e inquiria de si própria
o que significava tal saudação.
Disse-lhe o anjo: «Maria, não temas, pois achaste graça diante de Deus.
Hás-de conceber no teu seio e dar à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus.

Será grande e vai chamar-se Filho do Altíssimo. O Senhor Deus vai dar-lhe o trono de seu pai David, reinará eternamente sobre a casa de Jacob e o seu reinado não terá fim.»
Maria disse ao anjo: «Como será isso, se eu não conheço homem?»

O anjo respondeu-lhe: «O Espírito Santo virá sobre ti e a força do Altíssimo estenderá sobre ti a sua sombra. Por isso, aquele que vai nascer é Santo e será chamado Filho de Deus.

Também a tua parente Isabel concebeu um filho na sua velhice e já está no sexto mês, ela, a quem chamavam estéril, porque nada é impossível a Deus.»

Maria disse, então:
«Eis a serva do Senhor,
faça-se em mim segundo a tua palavra.»


E o anjo retirou-se de junto dela.

Ave Maria
Presentation School Choir perform Ave Maria | Semi-Final 5 | Britain’s Got Talent 2016

Fonte - youtu.be 


cristo-ressuscitado-e-madalena










jesus-disciples-emmaus2











cristo vive-aleluia


QUARTA-FEIRA DA OITAVA DA PÁSCOA
jesus-disciples-emmau

Evangelho segundo Lucas 24, 13-35

No caminho de Emaús
Nesse mesmo dia, dois dos discípulos iam a caminho de uma aldeia chamada Emaús, que ficava a cerca de duas léguas de Jerusalém; e conversavam entre si sobre tudo o que acontecera. Enquanto conversavam e discutiam, aproximou-se deles o próprio Jesus e pôs-se com eles a caminho; os seus olhos, porém,
estavam impedidos de o reconhecer.

Disse-lhes Ele:
«Que palavras são essas que trocais entre vós, enquanto caminhais?»
Pararam entristecidos. E um deles, chamado Cléofas, respondeu:
«Tu és o único forasteiro em Jerusalém a ignorar o que lá se passou nestes dias!» Perguntou-lhes Ele: «Que foi?»

Responderam-lhe: «O que se refere a Jesus de Nazaré, profeta poderoso
em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo; como os sumos
sacerdotes e os nossos chefes o entregaram, para ser condenado à morte
e crucificado.
Nós esperávamos que fosse Ele o que viria redimir Israel, mas, com tudo isto,
já lá vai o terceiro dia desde que se deram estas coisas.
É verdade que algumas mulheres do nosso grupo nos deixaram perturbados,
porque foram ao sepulcro de madrugada e, não achando o seu corpo, vieram
dizer que lhes apareceram uns anjos, que afirmavam que Ele vivia.
Então, alguns dos nossos foram ao sepulcro e encontraram tudo como as mulheres tinham dito. Mas, a Ele, não o viram.»

Jesus disse-lhes, então: «Ó homens sem inteligência e lentos de espírito para crer em tudo quanto os profetas anunciaram! 26Não tinha o Messias de sofrer essas coisas para entrar na sua glória?»
E, começando por Moisés e seguindo por todos os Profetas, explicou-lhes, em todas as Escrituras, tudo o que lhe dizia respeito.


Ao chegarem perto da aldeia para onde iam, fez menção de seguir para diante.
Os outros, porém, insistiam com Ele, dizendo:

«Fica connosco,
pois a noite vai caindo e o dia já está no ocaso.»


Entrou para ficar com eles.
E, quando se pôs à mesa, tomou o pão, pronunciou a bênção e,
depois de o partir, entregou-lho.

Então, os seus olhos abriram-se e reconheceram-no; mas Ele desapareceu da sua presença. Disseram, então, um ao outro:
«Não nos ardia o coração, quando Ele nos falava
pelo caminho e nos explicava as Escrituras?»


Levantando-se, voltaram imediatamente para Jerusalém e encontraram reunidos
os Onze e os seus companheiros, que lhes disseram:

«Realmente o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão!»

E eles contaram o que lhes tinha acontecido pelo caminho e como
Jesus se lhes dera a conhecer, ao partir o pão.



eucaristia-cristo

QUINTA-FEIRA SANTA (Ano B)






bebendo agua

Jesus e a Mulher Samaritana

Dia Mundial da Água
- 22 de março



Respondeu Jesus à Mulher Samaritana:


«Se conhecesses o dom que Deus tem para dar
e quem é que te diz: 'dá-me de beber',
tu é que lhe pedirias, e Ele havia de dar-te água viva!»


(João 4, 10)



sao_jose_braga

SÃO JOSÉ - DIA DO PAI 

EVANGELHO SEGUNDO SÃO MATEUS 1, 18-21

O nascimento de Jesus Cristo foi assim:
Maria, sua mãe, estava desposada com José;
antes de coabitarem, notou-se que tinha concebido pelo poder do Espírito Santo.

José, seu esposo, que era um homem justo e não queria difamá-la,
resolveu deixá-la secretamente.

Andando ele a pensar nisto, eis que o anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos
e lhe disse:

«José, filho de David, não temas receber Maria, tua esposa, pois o que ela concebeu é obra do Espírito Santo.

Ela dará à luz um filho, ao qual darás o nome de Jesus,
porque Ele salvará o povo dos seus pecados.»



a cruz de cristo

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO 

Quaresma 2018: "Porque se multiplicará a iniquidade, vai resfriar o amor de muitos" (Mateus 24,12) - Português 


O que é a Quaresma?

«Estamos habituados a chamar à Quaresma espaço de 40 dias de preparação
para a Páscoa. Sabe a pouco falar assim.
É mais verdadeiro, mais litúrgico e mais profundo chamar-lhe
"sacramento ou sinal sacramental da nossa conversão",
que se celebra ao longo de 40 dias e tem por fim converter-nos:
"Voltai para mim de todo o coração",
diz o Senhor.

É isso exatamente o essencial. Tão grande importância da Quaresma vem-lhe do mistério que Jesus viveu nos quarenta dias e quarenta noites passados no deserto, e que os seus amigos encontram agora nos 40 dias da Quaresma.»

Fonte e texto na íntegra http://www.liturgia.pt/noticias/noticia_v.php?cod_noticia=277



fome  
  Como nos comportamos com os outros

Jejuar com coerência

Na homilia da Missa na Casa Santa Marta (16/02), o Papa Francisco

advertiu quanto ao jejum incoerente, exortando a nos questionar sobre
como nos comportamos com os outros.



O verdadeiro jejum (16 de fevereiro de 2018)
[ Português ]



tempos-liturgicos

O ano litúrgico e o calendário
calendario-liturgico

 

Presença de Cristo na Liturgia

Cristo está sempre presente na sua igreja,
especialmente nas ações litúrgicas.


Está presente no
sacrifício da Missa, quer na pessoa do ministro -
«O que se oferece agora pelo ministério sacerdotal é o mesmo
que se ofereceu na Cruz» (20) - quer e sobretudo sob as
espécies eucarísticas.

Está presente com o seu dinamismo nos Sacramentos, de modo que, quando alguém batiza, é o próprio Cristo que batiza (21).

Está presente na sua palavra, pois é Ele que fala ao ser lida na Igreja a
Sagrada Escritura.
Está presente, enfim, quando a
Igreja reza e canta, Ele que prometeu:
«Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome,
Eu estou no meio deles»
(Mt. 18,20).

Fonte - Sacrosanctum concilium 7



jesus-na-sinagoga
jesus-cura


francisco-ama

Início da pregação de Jesus

No Evangelho segundo São Lucas (4, 16-18), na Sinagoga de Nazaré,
Jesus apresenta a síntese da sua missão evangelizadora.

«Veio a Nazaré, onde tinha sido criado. Segundo o seu costume, entrou em dia de sábado na sinagoga e levantou-se para ler. Entregaram-lhe o livro do profeta Isaías e, desenrolando-o, deparou com a passagem em que está escrito:



Ao terminar de ler o texto de Isaías (61, 1-2a), enrolou o Livro e exclamou: «Cumpriu-se hoje esta passagem da Escritura, que acabais de ouvir.»


A missão e o kairós de Cristo

3. Por conseguinte, a missão da Igreja não é a propagação duma
ideologia religiosa, nem mesmo a proposta duma ética sublime.

No mundo, há muitos movimentos capazes de apresentar ideais elevados
ou expressões éticas notáveis.
Diversamente, através da missão da Igreja, é Jesus Cristo que continua a evangelizar e agir; e, por isso, aquela representa o kairós, o tempo propício da salvação na história.

Por meio da proclamação do Evangelho, Jesus torna-Se sem cessar nosso contemporâneo, consentindo à pessoa que O acolhe com fé e amor
experimentar a força transformadora do seu Espírito de Ressuscitado
que fecunda o ser humano e a criação, como faz a chuva com a terra.

Papa Francisco, na sua Mensagem para o Dia Mundial das Missões 2017

Fonte - Mensagem para o Dia Mundial das Missões 2017Português 


apresentacao-de-jesus-no-templo

 

Apresentação de Jesus no Templo

Festa litúrgica - 2 de fevereiro




Evangelho - Lucas 2, 22-40


batismo-do-senhor

Batismo do Senhor

Evangelho - Marcos 1, 7-11

João começou a pregar, dizendo:


«Depois de mim vai chegar outro que é mais forte do que eu,
diante do qual não sou digno de me inclinar para lhe desatar
as correias das sandálias.

Eu batizei-vos em água,
mas Ele há de batizar-vos no Espírito Santo.»

Sucedeu que, naqueles dias, Jesus veio de Nazaré da Galileia
e foi batizado por João no Jordão.

Quando saía da água, viu serem rasgados os céus
e o Espírito descer sobre Ele como uma pomba.

E do céu veio uma voz:


«Tu és o meu Filho muito amado,
em ti pus todo o meu agrado.»


(Marcos 1, 7-11)



presepio-magos




presépio-de-luz


EPIFANIA DO SENHOR

Evangelho - Mateus 2, 1-12

Tendo Jesus nascido em Belém da Judeia, no tempo do rei Herodes,
chegaram a Jerusalém uns magos vindos do Oriente. E perguntaram:


«Onde está o rei dos judeus que acaba de nascer?
Vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo.»



santa-maria-mae-de-deus-2


santa-maria-mae-de-deus

"Os pastores dirigiram-se apressadamente para Belém
e encontraram Maria, José e o Menino deitado na manjedoura.

Depois de terem visto, começaram a divulgar o que lhes tinham dito a respeito daquele Menino.
Todos os que ouviram se admiravam do que lhes diziam os pastores.

Quanto a Maria, conservava todas estas coisas, ponderando-as no seu coração.

Quando se completaram os oito dias, para a circuncisão do Menino,
deram-lhe o nome de Jesus indicado pelo anjo antes de ter sido
concebido no seio materno".


(Lucas 2, 16-21)



fuga para o egito


Sagrada Família de Jesus, Maria e José
domingo dentro da oitava do Natal

"O anjo do Senhor apareceu em sonhos a José e disse-lhe:

«Levanta-te, toma o menino e sua mãe,
foge para o Egipto e fica lá até que eu te avise,
pois Herodes procurará o menino para o matar.»

E ele levantou-se de noite, tomou o menino e sua mãe e partiu para o Egipto, permanecendo ali até à morte de Herodes.
Assim se cumpriu o que o Senhor anunciou pelo profeta:

«Do Egipto chamei o meu filho»."

(Mateus 2, 13-15).



São João, Apóstolo e Evangelista
27 de novembro





"O que existia desde o princípio,
o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos,
o que contemplámos e as nossas mãos tocaram
relativamente ao Verbo da Vida,
é o que vos anunciamos".

(1 João 1, 1)



francisco e o menino jesus

  




francisco-natal-2017

"Transformar a força do medo
em força da caridade"









francisco-povos


SOLENE CELEBRAÇÃO DA SANTA MISSA
NA NOITE DO NATAL DO SENHOR

HOMILIA DO PAPA FRANCISCO

Basílica Vaticana
Domingo, 24 de dezembro de 2017

«Completaram-se os dias de [Maria] dar à luz e teve o seu filho primogénito, que envolveu em panos e recostou numa manjedoura, por não haver lugar para eles na hospedaria»(Lc 2, 6-7).

Com esta afirmação simples mas clara, Lucas leva-nos ao coração
daquela noite santa:
Maria deu à luz, Maria deu-nos a Luz.
Uma narração simples para nos entranhar no acontecimento que muda para
sempre a nossa história. Tudo, naquela noite, se tornava fonte de esperança.
(...)
Natal é tempo para transformar a força do medo em força da caridade,
em força para uma nova imaginação da caridade.
A caridade que não se habitua à injustiça como se fosse algo natural,
mas tem a coragem, no meio de tensões e conflitos, de se fazer
«casa do pão», terra de hospitalidade.

No Menino de Belém, Deus vem ao nosso encontro para nos tornar protagonistas
da vida que nos rodeia.
Oferece-Se para que O tomemos nos braços, para que O levantemos e abracemos; para que n’Ele não tenhamos medo de tomar nos braços, levantar e abraçar o sedento, o forasteiro, o nu, o doente, o recluso
(cf. Mt 25, 35-36).

«Não tenhais medo! Abri, antes, escancarai as portas a Cristo».
Neste Menino, Deus convida-nos a cuidar da esperança. Convida-nos a fazer-nos sentinelas para muitos que sucumbiram sob o peso da desolação, que deriva do facto de encontrar tantas portas fechadas.
Neste Menino, Deus torna-nos protagonistas da sua hospitalidade.

Comovidos pelo jubiloso dom, Menino pequenino de Belém, pedimo-Vos

que o vosso choro nos desperte da nossa indiferença,
abra os olhos perante quem sofre.

A vossa ternura desperte a nossa sensibilidade e nos faça sentir convidados
a reconhecer-Vos em todos aqueles que chegam às nossas cidades,
às nossas histórias, às nossas vidas.

Que a vossa ternura revolucionária nos persuada a sentir-nos convidados
a cuidar da esperança e da ternura do nosso povo.


Texto na íntegra  PT

[AR - DE - EN - ES - FR - IT - PL - PT]











 

natal-4


João 1,14
“E o Verbo fez-se homem
e veio habitar connosco.

E nós contemplámos a sua glória,
a glória que possui como Filho Unigénito do Pai,
cheio de graça e de verdade”.


Página seguinte                                                               
Página anterior





Franciscanas Missionárias de Maria © 2011. Todos os direitos reservados.