Maria da Paixão
Instituto FMM
As 7 Mártires e Assunta

Província
Instituto
Igreja
Mundo
Amigos FMM
Voluntariado
Pastoral Juvenil/ Vocacional
Abre e vê
Quem somos
O que fazemos
Onde estamos
Amoreira da Gândara Fratel Porto - Maria Missionária
Arcozelo Funchal - Santa Clara Porto - S. Francisco
Beja Funchal - São Jorge Porches
Braga Lisboa - Casa Provincial Setúbal
Bragança  Lisboa - Chelas V. N. de Santo André
Charneca Caparica Lisboa - Cristo da Boa Morte Vila de Rei
Coimbra   Lisboa - Olivais  

 

 




ana-luisa1

A Mestra de Noviças e a Ana Luísa
ana-luisa2a

As Noviças e 2014

ana-luisa3a

As Jovens Professas

ana-luisa4

Aniversário em comunidade


Pastoral Juvenil/vocacional


Burkina Faso



Missão fmm em Burkina Faso


«Para a missão e seus riscos Maria da Paixão quis-nos fortes na fé e prontas a partir lá onde seremos enviadas.» (Constituições fmm 40)


Mas o que é a missão?

Missão, para mim, é dizer aos outros quem é Jesus Cristo pobre e crucificado,        o Deus da Vida em abundância, e como Ele transforma em cada dia a minha vida.  É o que tento testemunhar através dos cursos sobre a espiritualidade franciscana  às noviças fmm, ou seja, às jovens burkinabé e senegalesas que se encontram     em formação para serem fmm.

E os riscos?

Risco é habituar o corpo e o espírito ao clima agreste do Sahel, (as temperaturas rondam, por vezes, os 50ºC), com as areias do deserto do Shaara a impedirem o irmão sol de se manifestar claramente. Risco é fazer viagens de mais de 1000km com carros com poucas condições e experimentar a Providencia de Deus na ajuda pronta, embora sem meios técnicos, dos irmãos que encontramos nas aldeias.

Mas quem é Maria da Paixão?

Ela é a fundadora das fmm. Mulher cheia de coragem e de fé, respondeu ao apelo de Deus e fundou esta família internacional dedicada à missão nos 5 Continentes, lá onde a Igreja está menos presente, lá onde estão os mais pobres. E aqui, no Burkina Faso, estão os mais pobres.

Mulheres fortes na fé?

Sim, ser forte na fé (mas não isentas de fragilidades) é confiar no amor infinito do Deus-Amor que me criou e me chama a viver ao jeito de Jesus de Nazaré, pobre, casta, obediente. Saber, no mais profundo de mim mesma, que estou nas suas mãos, na alegria e na dor. E partilhar esta certeza com os irmãos católicos, muçulmanos, protestantes e da religião muçulmana.

Um exemplo:

Na semana passada fui ao mercado procurar uma pilha para o meu relógio de pulso. Após alguns instantes de busca (o mercado tem mais de 200 pequenos e variados postos de venda) um comerciante muçulmano vendeu-me a pilha e trocámos algumas palavras: perguntei:
«como está a correr o mês do Ramadão?.. «Não é fácil não beber nem comer durante todo o dia com estas temperaturas tão elevadas…respondeu: Com a graça de Allah, estou a ser fiel ao jejum!»

Interpelei-o: Mas, tu rezas por nós católicos a Allah, não é verdade? Ele disse: «Sim, minha irmã, todos os dias rezo pelas religiosas». Agradeci, comovida, e disse-lhe que também rezo por eles. Outros vieram juntar-se ao diálogo, e, a custo lá me despedi, pois era cozinheira nesse dia e a hora ia já avançada.

A caminho de casa recordo a oração do Corão : «Conduis-nous sur la voie droite, la voie de ceux sur lesquels Tu répands Tes grâces…» (sourate 1 «la liminaire»). O mercado de Ouagadougou começa a estar, para mim, povoado de rostos e nomes bem concretos.

Pronta a partir…? Mas primeiro é preciso deixar…


É verdade e partir é morrer um pouco. As saudades são uma realidade. Mas aquilo que Deus já me ofereceu em 8 meses no Burkina Faso é imensamente grande. O meu coração abre-se ao amor universal concretizado nas pessoas com quem vivo, trabalho e rezo dia após dia.

Sou enviada?


Enviada por Deus, através das minhas Superioras, vivo a alegria de estar a crescer lá onde Ele me quer e precisa de mim.


                                                                        Ana Luísa dos Anjos Prego, fmm



                                                                                        

mercado
formacao-feminina
centro-oftalmico
obra-social
jovens-fmm


Ecos da missão-integração no Burkina-Faso

10.02.2014

Durante o mês de Janeiro, após o envio das noviças em estágio, dediquei-me ao conhecimento da Província, desta vez no Burkina Faso, mais precisamente as comunidades do sudoeste.

O Burkina tem 60% de muçulmanos, 23% de cristãos (19% católicos) e 17% de crentes da religião tradicional.
Conta com 15 dioceses divididas em 3 províncias eclesiásticas com um arcebispo cada uma. A taxa de escolarização é de 40% para os rapazes e 25,2% para as raparigas.

Em Diébougou temos um centro de formação feminina, para jovens. Neste momento este centro é animado pela irmã Esther, malgache.

No centro oftálmico da diocese trabalha a irmã Blaisa, fazendo consultas de oftalmologia e pequenas cirurgias.
Uma pequena farmácia, gerida pela comunidade, está também ao serviço da população.

Numa aldeia mais adiante, Ligmaré, está outra comunidade fmm. As irmãs dedicam-se ao centro de formação de catequistas da diocese em colaboração com os padres diocesanos.

E descemos mais perto junto da fronteira com o Ghana e encontramos Dissin. Aqui chegaram as primeiras missionárias fmm há 75 anos.

Aqui começou a aventura em colaboração com os padres Missionários de África. Daqui saíram as primeiras vocações burkinabé fmm.

Nesta aldeia funciona o CREN e Orfanato «Marie Assunta» que dá assistência a crianças órfãs e/ou mal-nutridas.

Nesta diocese de Diébougou começou a presença fmm em 1939.
Era justo que começássemos aqui a celebração do Jubileu de 75 anos da Província.
No dia 19 de Janeiro abrimos a celebração do Jubileu com uma Eucaristia solene.

Em Dissin, desde o inicio da nossa presença, temos uma obra social para os cegos e /ou deficientes motores os quais fazem e vendem cestos para poderem subsistir.

Eis-nos rumo a Kampti, já na diocese de Gaoua. Aqui as 4 irmãs da actual comunidade dedicam-se à primeira evangelização da etnia lobi em colaboração com uma comunidade de padres diocesanos.

Na região de Ouagadougou, onde resido, visitei a comunidade da Trindade, comunidade dedicada ao acolhimento das irmãs da Província.
Aqui se encontram  7 jovens professas:
6 do Burkina e uma originária da Costa do Marfim mas pertencente à Província          do Reino-Unido a fazer aqui a sua experiência missionária ad-extra.


jubileuarcebispo


O nosso arcebispo de Ouagadougou, Monsenhor Philippe Ouedraogo, foi nomeado Cardeal. Fui, com a mestra de noviças, saudá-lo e apresentar-me ao meu pastor pois pertenço à sua diocese.
É um homem muito simples, próximo do povo e de todas as confissões religiosas
.

Neste país tão pobre materialmente, como mulheres crentes somos «apenas» lâmpada e presença, como nos incita o nosso Papa Francisco:

«A fé não é uma luz que dissipa todas as nossas trevas, mas uma lâmpada que guia os nossos passos na noite e isso chega para caminhar.

Ao homem que sofre Deus não dá um raciocínio que explique tudo mas ele oferece a sua resposta sob a forma de uma presença que acompanha…»

(cf.Lumen fidei, 56)


Ana Luísa Anjos Prego, fmm




                                                                                        



Com os Bispos de Niamey

 

ana-luisa5

Com a atual comunidade fmm


ana-luisa6


ana-luisa7


 




Burkina Faso


PELAS ESTRADAS DA MISSÃO UNIVERSAL NO NIGER E TOGO


27.12.2013

Antes de começar a minha missão no Noviciado fiz com a Provincial, Sr. Rosalie Ilboudo, e com duas missionárias (da India e Costa do Marfim) recém-chegadas, uma visita de carro às nossas comunidades do Niger e do Togo.

Em Niamey conhecemos a missão das irmãs no Hospital e na Diocese.
É uma Igreja de imigrantes vindos sobretudo do Burkina Faso, Mali, Benim e Costa do Marfim.


Em Makalondi, ainda no Niger, mas junto à fronteira com o Burkina, temos uma comunidade ao serviço do povo Gourmanché.
Aí pudemos visitar as aldeias mais próximas, falando com gestos e algo em francês.

Encontrámos catequistas que recordam todas as irmãs que por lá passaram e que os ajudaram a crescer.

Dormimos em casas redondas como as do povo, só que as nossas já são de cimento.

A capela é também uma casa redonda muito acolhedora, como podemos ver        
na foto.

Dali fomos rumo ao Togo, à cidade de Dapaong, no norte.

As irmãs trabalham na paróquia e na produção de hóstias e criação de animais.

Uma enfermeira faz promoção da saúde materno-infantil numa aldeia próxima.

Nessa cidade têm os Padres OFM o seu Noviciado para os países da África do Oeste.

Saudámos os noviços.


Nadjundi é uma aldeia perto da fronteira com o Burkina; foi a última que visitámos.

As irmãs têm ali, há cerca de 50 anos, um centro de saúde materno-infantil com maternidade. Crianças mal-nutridas acompanhadas de suas mães, como esta que vemos na foto, recebem uma assistência completa durante alguns dias e depois voltam a suas casas.

Além deste trabalho as irmãs colaboram nas catequeses paroquiais e na promoção feminina e na alfebetização.


E de Nadjundi foi o regresso a Ouagadougou, no Burkina. Cerca de 1300km         por estradas muito precárias, mas com uma paisagem linda da savana do Sahel      e um povo que nos acolhe sempre com um grande sorriso apesar da sua extrema pobreza.

Francisco de Assis, quando enviava um irmão em missão, dizia-lhe:                «Confia ao Senhor os teus cuidados e Ele tomará conta de ti!»

Possa a beleza deste espírito de abandono tomar conta do nosso ser, viver e fazer.

Ana Luísa dos Anjos Prego, fmm


burkina

                                                                                        

ana-luisa-prego





 

 



Chegada a Burkina Faso

06-12-2013

Paz e Bem. Cheguei bem a Ouagadougou; eram 18.30h da tarde e faziam
37ºC. Estou no Noviciado, minha comunidade, mas vou conhecer a Província que são 3 países; segunda-feira irei ao
Togo e depois ao Niger ver as nossas irmãs com a Provincial.

Aqui é a estação «fria» com o «Harmattan» que vem do deserto, um vento cheio de poeira laranja (já mudei um pouco de cor!!!).

A Internet funciona às vezes, e a luz  também; quando não há luz a bomba de tirar água não funciona... é um ciclo óbvio.

Estou bem e muito feliz por este envio do Senhor;

até agora o «irmãocorpo» adapta-se bem, mas ainda é cedo para atirar foguetes!
Deus dirá e o tempo também.

Vou matando saudades das comidas e cheiros que conheci noutros tempos.
As irmãs são ótimas cozinheiras.

Fica o meu contacto de telefone fixo: 0022650372715
Morada: Noviciat de Soeurs Franciscaines Missionnaires de Marie
01 BP 560
Ouagadougou 01
Burkina Faso

Unida na amizade, oração e saudades
Ana Luisa, fmm



                                                                                        






 

 





























Envio Missionário

Ana Luísa dos Anjos Prego, fmm

07.10.2013 

«Não há nada permanente a não ser a mudança»

Esta afirmação de Heráclito, filósofo grego, resume uma das minhas convicções mais profundas. Não só o Universo e toda a natureza, mas também o nosso ser bio-psico-social e espiritual está em constante movimento e mudança. Assim Deus nos sonhou e quis.
Chamo-me Ana Luísa dos Anjos Prego, sou Franciscana Missionária de Maria, natural de Setúbal.
Recordo uma palavra das Constituições do Instituto a que pertenço:

«Para a missão e seus riscos, Maria da Paixão quis-nos fortes na fé e prontas a partir para onde formos enviadas».

Missionárias nos quatro cantos do mundo, somos, por vocação, dedicadas à missão universal. Quer isto dizer que cruzar os mares ou os céus faz parte da nossa vida, está (ou deveria estar) no nosso ADN.

Em 1989 entrei no Instituto das Franciscanas Missionárias de Maria em Portugal. Depois do Noviciado, fiz os primeiros votos em 1992. Fiz o Curso de Enfermagem na Escola Superior de Enfermagem das FMM e trabalhei no Instituto Português de Oncologia em Lisboa, durante ano e meio.

Após os votos perpétuos, em 1997, fui enviada em missão no Burkina Faso. Ali trabalhei na pastoral juvenil e vocacional, numa equipa de padres, leigos e religiosos. Éramos responsáveis pela educação cristã dos jovens dos liceus e colégios de Bobo-Dioulasso, preparando-os para o Baptismo, a Profissão de fé e o Crisma.

Em 2003 fui chamada à província de Portugal para ajudar na formação como mestra de noviças, em Arcozelo - Barcelos. Disse ao Senhor, como Jeremias: «sou muito nova, porque não chamas outra? Estava tão feliz na missão no Burkina…». Mas Deus confirmou, como fez com Jeremias, que era Ele quem me chamava e aceitei.

Em Portugal, vivendo nós em território de nova evangelização, além do trabalho específico da formação que me foi confiada, pude colaborar com diversos párocos e leigos do arciprestado de Barcelos, procurando que a fé dos jovens e dos cristãos em geral se tornasse mais forte e profunda e não só arraigada àquilo que é tradição religiosa. Nem sempre foi uma missão simples; às vezes, manter o povo cristão só nas «suas tradições» é mais cómodo; mas comodismo não faz parte da gramática do Evangelho de Jesus. Também fui chamada a colaborar na formação dos seminaristas no Seminário de Braga. Assim, a minha missão na arquidiocese de Braga foi muito variada e permitiu-me crescer como mulher e como crente, mais realista das forças e fraquezas pessoais e da Igreja a que pertenço.
Muitas experiências positivas estão gravadas no meu coração e permitem o trampolim agora para outras paragens.

No mês de Março de 2013 fui de novo enviada à missão de Burkina Faso, onde as FMM têm uma província com muitas vocações e um campo de acção muito vasto. O Burkina Faso, antigo Alto Volta, é um país africano limitado a oeste e a norte pelo Mali, a leste pelo Níger, e a sul pelo Benin, pelo Togo, por Gana e pela Costa do Marfim. Sua capital é a cidade de Ouagadougo.

Como estou eu a viver este tempo de já estar enviada e ainda não ter lá chegado?

Em vez de me lançar a sonhar como será a minha missão nestas terras onde habitam 16 milhões de pessoas das mais pobres do mundo, abro mão das experiências que vivi com pessoas e actividades. Quando estamos muito contentes com o que já somos e temos, a mudança ameaça-nos, parece que nos retira algo. Sei que nas transições o fim de algo é ponto de partida. Sim, agora trata-se de dizer «adeus». Dizer adeus às pessoas com quem vivi e trabalhei, adeus às condições de trabalho (Internet, etc…), adeus às condições ideais de saúde (embora com a crise que vivemos somos exuberantemente ricos ao lado do povo burkinabé), adeus a uma certa concepção de mim mesma.

Estes e outros «adeus» são naturalmente dolorosos; mas são também, para mim, parte integrante do processo de despojamento da minha vida nas mãos de Deus.
Tudo isto que agora vivo ganha sentido olhando para Cristo, Aquele a quem entreguei a minha vida; Ele foi peregrino de terra em terra, apreciando os valores de cada povo, crescendo humanamente com os outros, servindo a todos, com especial atenção pelos mais pobres.

Espero partir no final deste ano 2013 para colaborar com a Igreja-Família do Burkina Faso, em princípio ajudando na formação e em tudo aquilo que me possa ser pedido, levando outros a apaixonarem-se por Cristo.

Num país tão pobre, onde escasseiam todos os recursos e onde a «grande riqueza é o povo», vou para testemunhar e viver uma vida entregue e dependente de Cristo, na simplicidade, na paz e na alegria. Com a graça de Deus e a ajuda dos irmãos e irmãs.

Ana Luísa dos Anjos Prego, fmm

email: analuisaprego@gmail.com


                                                                                        






 

 








































































Jovens em Taizé

Decorreu de 24 a 28 de Julho de 2013 o encontro de pastoral juvenil fmm da Europa. Participaram  jovens de três províncias: Espanha, Reino-Unido e Portugal acompanhadas e quatro fmm da equipa organizadora, entre as quais s irmã Ana Luísa Prego:  

Este encontro decorreu em duas etapas:

- Na  comunidade fmm de Oulins. Durante um dia, através de dois Workshops, aprofundaram:
- o espírito franciscano e as crises vocacionais de Francisco
- a fé em Jesus Cristo, Luz do mundo e da nossa vida.


- Em Taizé, integrámo-nos no fim-de-semana organizado por essa comunidade de oração ecuménica. Estavam ali cerca de 3 mil jovens. Juntas, integrámo-nos nas orações e Eucaristias comunitárias em diferentes línguas e no estilo próprio de Taizé. Cada uma de nós pôde escolher os workshops onde queria participar e organizar os seus tempos pessoais de oração.



Testemunho (Neide, Portugal) - «Muitas vezes ouvimos falar de fraternidade de forma abstracta, mas com esta experiência internacional e pelo testemunho das irmãs fmm da comunidade que nos acolheu, o Amor fraterno concretizou-se na simplicidade das acções e gestos. Em Taizé o poder do Espírito, que junta diferentes religiões, idades e vontades, ajudou-me a refletir sobre o espaço que dou a Deus na minha vida. Foi uma mudança de perspetiva, uma bênção».


Se és uma jovem rapariga e estás à procura
do projeto de Deus para ti,
junta-te a nós nesta experiência de fé a Taizé.


Objetivos

Ajudar a jovem a discernir a sua vocação (matrimónio, vida consagrada, missionária leiga…)
Permitir uma vivência europeia com outras jovens que estão em contacto connosco. Oferecer oportunidade para conhecer melhor quem são as fmm na Europa.


Informações

A viagem será de autocarro direto Lisboa-Lyon através da agência de viagens Abreu. Aproximadamente 16 horas de viagem.
Partida de Lisboa (da gare Oriente): dia 23 de Julho
Regresso de Lyon (para Lisboa): dia 30 de Julho

Preços da viagem com seguro incluído durante toda a estadia em França:
Maiores de 26 anos: 212.00 euros
Menores de 26 anos: 191.00 euros

As menores de 18 anos têm de adquirir uma autorização, reconhecida em notário, de saída do território nacional de menor nacional (é favor pedir-me a minuta).
Podemos aguardar uma resposta da jovem até ao mês de Abril pois no início do mês de Maio é necessário comprar a viagem.
Que nenhuma jovem deixe de ir por dificuldades económicas; encontraremos um meio de a ajudar.


Horário/Programa

Quarta-feira 24 de Julho de 2013: chegada a Lyon

Quinta-feira 25 de julho: acolhimento-fraternidade-convívio

Sexta-feira 26 de Julho: viagem de comboio para Taizé.

Sexta-feira à noite até domingo ao meio-dia: programa proposto por Taizé.

Domingo, à noite, 28 de Julho: regresso a Lyon. Avaliação.

Participação prevista: 50 € (cinquenta euros).



Para mais informações

email: analuisaprego@gmail.com

telemóvel: 912714108
telefone : 253822871


 

Felizes os pobres (Beati voi poveri)

Felizes os pobres, porque deles é o Reino de Deus

Felizes os pobres em espírito, deles é o Reino do Céu.
Felizes os que choram, porque serão consolados.
Felizes os mansos, porque possuirão a terra.

Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.
Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.

Felizes os puros de coração, porque verão a Deus.
Felizes os pacificadores: serão chamados filhos de Deus.
Felizes os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino do Céu.

Música e interpretação: Comunidade ecuménica de Taizé

 



Página seguinte                                                                Página anterior


Franciscanas Missionárias de Maria © 2011. Todos os direitos reservados.